ANSA

Promovendo a justiça e a solidaridade no Araguaia
Em sua V edição, ocorrida de 23 a 25 de junho em São Félix do Araguaia MT, a Mostra Socioambiental do Araguaia hasteou bem alto a bandeira “Nós Somos Terra”. Este é um estandarte antigo herdado pela Associação Nossa Senhora da Assunção (ANSA), realizadora do evento, da luta histórica pela terra, junto aos que vivem nela, empreendida por Dom Pedro Casaldáliga. A resistência e persistência de todos estes atores e protagonistas são a marca desta grande celebração que tem sido a Mostra Socioambiental do Araguaia e em 2017 não foi diferente. As bancas repletas da produção de doces, farinha, queijos, óleos de várias espécies, abóboras, carás, uma diversidade incrível de delícias da Terra. (Liebe Lima, AXA) Leia o artigo completo AQUI  
Mais de 100 expositores, entre Povos Indígenas, Agricultores Familiares, Extrativistas e Ribeirinhos participam nos próximos três dias da maior mostra sócioambiental do Araguaia. Organizada pela ANSA, a Vª Mostra Sócioambiental do Araguaia espera receber mais de 1.000 visitantes de toda a região, demonstrando desta forma que uma outra sociedade é possível. Esperamos tod@s vocês!!!
Como parte das iniciativas de divulgação e animação da Vª Mostra Sócioambiental do Araguaia que estaremos realizando em São Félix do Araguaia os dias 23, 24 e 25 de junho, a ANSA, em parceria com as demais organizações da Articulação Araguaia Xingu (AXA), lança o vídeo da Iª Caravana Sócioambiental do Araguaia. Assista o vídeo AQUI
No dia 27 de abril de 2017, a ANSA realizou a Iª Caravana Sócioambiental no Assentamento Dom Pedro, em São Félix do Araguaia. A Caravana teve como objetivo fortalecer a Agricultura Familiar da região do Araguaia e, para isso, realizamos uma mostra de produtos do campo, uma roda de conversa e iniciamos um processo de articulação e comunicação entre os agricultores familiares, as suas associações e os órgãos públicos responsáveis da realidade fundiária e agrícola: INCRA, Empaer, IFMT e a Prefeitura Municipal de São Félix do Araguaia. O encontro, o primeiro destas características que se realiza na região contou com a participação de mais de 100 famílias de agricultores e foi possível graças à colaboração das entidades apoiadoras da ANSA, Misereor, Manos Unidas e a Sociedade Inteligência e Coração (SIC).
No dia 17 de abril de 2017, no dia que rememora o Massacre de Eldorado do Carajás, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançava em Brasília a publicação “Conflitos no Campo Brasil 2016". O relatório, organizado pela Comissão Pastoral da Terra, desde 1985, chama a atenção para o aumento de assassinatos. O ano 2016 entra para a história como o ano com o maior número de assassinatos no campo em decorrência de conflito agrários, de luta pela terra e pela água, nos últimos 13 anos. O monitoramento da CPT registrou 61 assassinatos ano passado, 11 a mais que em 2015, com registro de 50 assassinatos. O relatório está sendo lançado neste mês em vários Estados do País e do Exterior e pode se consultar no site da cpt nacional: AQUI

Páginas